Spinner vira uma nova ferramenta dentro de sala de aula: as crianças aprendem matemática brincando.

 

A tecnologia conquista cada vez mais espaço. Os brinquedos antigos ganham versões 2.0, com interação inclusive. É o caso do finger spinners ou hand spinners que você já deve ter ouvido falar por aí ou já viu seu filho fazer manobras radicais com o pequeno objeto. Tem gente dizendo que essa é a versão tecnológica do pião. O que a gente sabe é que essa estrela de plástico capaz de girar, girar e girar dependendo da habilidade do manipulador conquistou a atenção das crianças. Inclusive na sala de aula.

Durante o ano de 2017, a professora do ensino infantil Ivani Alcântara viu os alunos chegarem com o brinquedo na sala de aula e perder a concentração. Para reconquistar a atenção dos alunos para as disciplinas, ela começou a usar o brinquedo nas aulas. “Por que não levar o brinquedo que eles gostam para aprender os conteúdos? Se eles utilizarem o brinquedo que gostam, a aprendizagem vai ficar mais significativa”, conta Ivani.

Segundo a professora, a resposta foi imediata. Isso porque “a brincadeira desenvolve muito as crianças. Eles aprendem a ter mais autonomia nas ações, a experimentar o mundo, a desenvolver as emoções. E a matemática que para eles é um bicho de sete cabeças fica mais fácil, a criança aprende se divertindo”, revela.

E as crianças ficaram fascinadas pela ideia inovadora. Ana Clara Vasconcelos, 7 anos, gostou da iniciativa da professora, porque agora se diverte aprendendo. Maria Carolina Brito, 7 anos, concorda “a gente pode brincar com o brinquedo que a gente mais adora e aprender matemática ao mesmo tempo”. Ela gosta do brinquedo porque sempre que fica brava usa para ficar mais tranquila: “eu, giro, giro…e fico mais calma”, dia Maria Carolina.

E essa tranquilidade que o brinquedo parece trazer também tem ajudado Pedro Mendes, 8 anos. “O spinner me deixa mais calmo. Quando fica girando e você olhando parece que faz tirar o estresse. Aí fico mais calmo. Às vezes nas provas, eu fico estressado. As vezes os números me confundem aí eu fico estressado, com o spinner é mais fácil”, conta Pedro. Ele gostou tanto que pretende ser professor de matemática, quando crescer, e usar a atividade com os próprios alunos.

A atividade tem sido um sucesso, mesmo que Henrique Xerfan não ache as contas mais fáceis por causa do brinquedo “São difíceis as contas, mas é mais divertido”.

O projeto

O projeto é interdisciplinar e foi criado para desenvolver as habilidades das crianças em varias disciplinas, a partir do uso do brinquedo. A primeira disciplina que ganhou o experimento foi a matemática, por toda a dificuldade que os alunos sentem.

Pelo menos uma vez por semana, a professora tira os alunos de dentro da sala de aula e os leva para o espaço aberto da escola, onde estão acostumados a interagir. Lá, começa uma dinâmica de aprendizagem diferente.

Durante os 3º e 4º bimestres o spinner foi o objeto central da aula. Ele foi utilizado para incentivar as crianças a resolver conta de matemática. No final deste semestre, os alunos estão batendo cabeça com divisão e a vontade de ter o momento com o brinquedo faz com que as crianças se empenhem mais.

Mas e como será que funciona? O spinner gira com muita facilidade: nos dedos, no chão, nos cadernos… e essa característica foi levada em consideração pela professora. Ela criou fichas com um desenho e várias contas de adição, subtração, multiplicação e divisão a serem resolvidas. As fichas são distribuídas a cada aluno e são os spinners que, após pararem de girar, indicam qual conta deve ser resolvida em cada momento.

Serviço

Ideal Junior
Endereço: Rua dos Pariquis, 1321 – Batista Campos.

Comments are closed.
Novidades esportivas INFO
All the latest school sport and grass roots reports on ED Sport. News, reports, analysis and more.
SEE ALL
Tweets
Informações de contato
Rua dos Mundurucus, 1412 - Batista Campos (91)3323-5000
  • (91)3323-5000
  • marketing@grupoideal.com.br
  • gerente.ti@grupoideal.com.br